Método Charmat - Produção de Espumantes

O Método Charmat permite obter vinho espumante, tanto doce quanto seco, num período muito curto, mínimo de trinta dias, mas em geral de quatro a seis meses.
A rapidez do processo gera espumantes frutados, com as características das uvas que o originaram.
Para acelerar a produção o e reduzir os custos elevados, devido às numerosas manipulações necessárias pelo Método Clássico (ou Champenoise), o italiano Federico Martinotti, teve a idéia de realizar a segunda fermentação em um grande recipiente fechado no lugar das garrafas.
A solução provou ser válida e o engenheiro francês, Eugene Charmat, construiu e patenteou, por volta de 1910, a primeira autoclave que tornava possível a realização do processo idealizado por Martinotti.

Sobre o Processo



O vinho recém produzido pode ser misturado com o de safras anteriores para formar o vinho base. Acrescenta-se a ele açúcar e levedos e tudo é colocado em uma autoclave fechada e com temperatura controlada. Lá dentro, inicia-se a segunda fermentação que pode levar, em média, de um a seis meses. Como a autoclave é hermeticamente fechada, o processo irá gerar ácido carbônico, responsável pelas bolhas, sedimentos e álcool.
Os resíduos acumulados nesta re-fermentação são eliminados por uma filtragem isobárica que antecede o engarrafamento do espumante.

Dependendo da quantidade final de açúcar no espumante, ele poderá ser classificado como:

EXTRA BRUT - menos de 6 g/l
BRUT - menos de 15 g/l
EXTRA DRY - de 12 a 20 g/l
DRY - de 17 a 25 g/l

Saiba Mais
Na Itália existem vários espumantes famosos produzidos com o método charmat, como o Moscato e o Prosecco.

Autora: Adriana Grasso
Contato: adriana.grasso@uol.com.br

2 comentários:

  1. Angelo Medeiros disse...

    Oi Dri! Uma dúvida. Há um tempo atrás li algo sobre o método Asti. Existe mesmo um método chamado Asti? Este vinho é produzido de forma diferente dos Proseccos?  

  2. Adriana Grasso disse...

    Angelo,
    A próxima postagem será sobre o Asti. Ele é produzido pelo Método Charmat mas não tem adição de açucar para a segunda fermentação e durante a primeira passa por uma série de filtragens...
    Beijos,
    Adriana  


 

Vinhos Italianos por Adriana Grasso